Segunda-feira, 4 de Março de 2024
No menu items!

“Vivi 18 anos de terror”

Irene Batista acusa o ainda marido, e presidente da Junta de Freguesia de Andrães, de violência doméstica. Com dois filhos, diz ter fugido de casa várias vezes, mas voltou sempre, por medo e também por acreditar que os episódios não se iriam repetir. Após vários anos de violência, física e psicológica, ganhou coragem e colocou um ponto final na relação. À VTM, falou ainda de uma carta, alegadamente falsa, que a afastou da gerência da empresa dos dois

-PUB-

18 anos. Foi o tempo que Irene Batista levou para denunciar os episódios de violência doméstica de que foi vítima. Porquê agora? É de lágrimas nos olhos que nos responde. “A procuradora perguntou-me o mesmo. Acho que ganhei coragem”, afirmou.

“Ao longo destes anos fugi muitas vezes de casa, com os meus filhos. Ia para casa do meu irmão, porque quando ia para casa dos meus pais o Jorge ia para lá e tratava-os mal”, conta, lembrando alguns episódios.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.