Terça-feira, 19 de Outubro de 2021
Barroso da Fonte
Escritor e Jornalista. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Colecionador de Memórias Barrosãs

Foram apresentados no multiusos de Montalegre dois livros do Coronel Dias Vieira.

-PUB-

Apesar das limitações pandémicas o amplo espaço respeitou o distanciamento e todas as cadeiras foram ocupadas, confirmando que foi uma sessão cultural fora do comum. Os livros foram oferecidos a todos os presentes e ambos os temas foram enriquecidos por quantos sobre eles se pronunciaram, nomeadamente o Padre Branco Alves e o presidente da Câmara. Dias Vieira  conseguiu reunir nas 76 páginas uma biografia que há muito deveria ser conhecida e divulgada. Rebuscou nos poucos e débeis arquivos, o que foi a vida deste clérigo, que morreu aos 56 anos,na Póvoa de Lanhoso. Havia nascido em Frades do Rio, Montalegre,em 17 de Janeiro de 1895.Cursou o seminário de Braga, ordenando-se em 17 de Agosto de 1917. Foi colocado como pároco de Santo André, última povoação do concelho, na fronteira com Espanha. Chegou a ser Presidente da Câmara de Montalegre. Morreu em 5 de Julho de 1951. Dias Vieira neste pequeno livro exalta a humildade deste padre Barrosão, mostrando, em prosa e verso, pedaços de literatura  queiroseana.

Há sete Senhoras das Terras de Barroso que se veneram em lugares míticos, quase sempre nascidos de crenças pagãs que se mudavam de sítio, consoante os incêndios, as lendas e as ocupações da pastorícia. Neste imenso concelho Transmontano, mais vocacionado para floresta do que para chão de pessoas escravizadas, por políticos sem escrúpulos, os deuses do paganismo nasciam como os cogumelos. A religiosidade era dama de companhia vestida de trajes excêntricos que se mostravam através de formas,difíceis de explicar e de entender.

Este ermo  situa-se na margem esquerda do Rio Cávado, na encosta de uma serra que espreita a fronteira com a Espanha. Como foi ali implantada  em tempos difíceis de    identificar, Dias Vieira que tem sido um guardião permanente como historiador local, reuniu os elementos possíveis e deu-lhes forma de livro. A edição tem a chancela da Fronteira do Caos e a autarquia patrocinou  o opúsculo. O prefácio tem a assinatura do presidente da Câmara.  Como estive presente e não li nada sobre este evento, deixo aqui este registo, com parabéns para o Coronel Dias Vieira que estudou e vive em Vila Real, após uma carreira exemplar na GNR ao nível dos Comandos da Região Norte.

Mais Lidas | opinião

O povo é quem mais ordena

Ferrovia Boas Notícias

Beneficiou da Moratória?

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.