Quarta-feira, 24 de Abril de 2024
No menu items!

Junta de Freguesia faz queixa na GNR por falsa convocatória militar

A União de Freguesias de Vilar de Perdizes e Meixide, em Montalegre, apresentou queixa na GNR por uma carta falsa distribuída pelas casas a convocar ex-militares para a guerra na Ucrânia, que classificou como “brincadeira de mau gosto”.

-PUB-

O presidente da união de freguesias, João da Silva Araújo, disse que terão sido colocadas nas caixas de correio cerca de 40 cartas em nome daquela autarquia e falsamente assinadas pelo Exército português.

“Eram telefonemas em cima de telefonemas de pessoas a perguntar se lhes escrevi uma carta”, contou, referindo que foi apresentar uma queixa na Guarda Nacional Republicana com vista ao apuramento de responsabilidades.

A falsa convocatória foi deixada na casa de pessoas idosas e com incapacidade e exorta os ex-militares a inscreverem-se como voluntários para a guerra na Ucrânia, tendo previsto desempenhar funções como, por exemplo, tradutor de línguas.

Na carta pode ainda ler-se que os ex-militares ficam obrigados a apresentarem-se no domingo, na sede daquela junta de freguesia do distrito de Vila Real, e que, em caso de incumprimento, poderão ser penalizados no pagamento de 500 euros.

A falsa mobilização do corpo de reservas termina com a expressão “contamos contigo” e “Exército Português”.

João da Silva Araújo classificou esta carta como uma “brincadeira de muito mau gosto”, mas referiu que algumas pessoas ficaram preocupadas e, por isso, pediu respeito pelos visados e também pela instituição União de Freguesias.

O autarca espera que se trate de um ato isolado, mas apelou à denúncia se se verificarem outras situações do género.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.