Sexta-feira, 25 de Junho de 2021
©Arquivo/VTM

Prazo da consulta pública sobre Mina do Barroso foi prolongado

O período de consulta pública do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da Mina do Barroso, prevista para Boticas, distrito de Vila Real, foi prorrogado até 16 de julho, informou hoje a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

-PUB-

A consulta pública no âmbito do procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do projeto de ampliação da Mina do Barroso começou a 22 de abril e estava inicialmente prevista até ao dia 02 de junho, tendo sido, agora, prorrogada por mais 30 dias, até 16 de julho.

A Mina do Barroso situa-se em área das freguesias de Dornelas e Covas do Barroso, e o projeto está a ser promovido pela empresa Savannah Lithium, Lda, que prevê uma exploração de lítio e outros minerais a céu aberto. A área de concessão prevista é de 593 hectares.

Este adiamento vai ao encontro do pedido feito pelo presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, que disse que o prazo inicial era pouco para “analisar tantos documentos” e “documentos tão confusos”.

“Ficamos satisfeitos, porque esta prorrogação dá-nos mais 30 dias para analisar a documentação e porque queremos fazer uma contestação bem fundamentada. Cada vez que lemos mais documentos mais convencidos ficamos de que a razão está do nosso lado”, afirmou à agência Lusa o autarca que se opõe à mina de lítio.

Fernando Queiroga considerou ser “humanamente impossível analisar os documentos todos” no período inicialmente previsto e referiu que, agora, “já é possível, com mais pormenor, decompor e contestar o EIA”.

O presidente reafirmou que o EIA “tem muitas inverdades, tem dados incorretos e não contempla estudos e dados fundamentais”, nomeadamente “os caudais que vão prejudicar até a produção de energia hídrica dos seis municípios” do Alto Tâmega, bem como a “questão do atravessamento das vias municipais” e o impacte resultante do aumento de tráfego pesado.

“São questões que não são tidas em conta”, referiu.

No âmbito da consulta pública foram submetidas, até ao momento, 63 participações via Portal Participa.

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.