Terça-feira, 28 de Setembro de 2021
©MR

Protesto contra as minas juntou dezenas de pessoas em Covas do Barroso

O acampamento de cinco dias em defesa do Barroso, que moveu cerca de 300 pessoas, culminou, no dia 18 de agosto, numa ação simbólica. Entre cartazes, palavras de ordem, cânticos, chocalhos, sacholas e bombos, reiterou-se a mensagem “Não à mina, sim à vida”

-PUB-

Após uma semana intensa que procurou construir um espaço de partilha sobre o impacto dos megaprojetos de exploração mineira na Península Ibérica, o acampamento em defesa do Barroso terminou na quarta-feira, dia 18 de agosto, com uma arruada pela aldeia de Covas. 

O percurso teve início no Largo Cruzeiro, junto à Capela de Nossa Senhora da Saúde. Entre cânticos, palavras de ordem, ritmos de resistência, sons de chocalhos, sacholas, bombos, guitarras, entre outros instrumentos musicais e de trabalho, podia ouvir-se “não às minas, não às minas, não”. 

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.