Domingo, 26 de Setembro de 2021
Mário Lisboa
Tenente-Coronel da Força Aérea. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

A Força Aérea e a sua presença em Vila Real

DE QUANDO EM VEZ...

-PUB-

A cidade, capital de distrito, viveu uns dias de grande movimento e entusiasmo, o azul das fardas dos aviadores militares e o sulcar dos céus pelas máquinas voadoras emprestaram uma fisionomia mais inusitada a toda a região.

Assim, logo no dia 24 de junho, foi inaugurada uma exposição estática no Liceu Camilo Castelo Branco. No dia 1 de julho, realizou-se um festival aéreo, no Aeródromo, que foi muito participado ficando os espectadores maravilhados com uma demonstração de ataque a incêndios, pelas exibições dos helicópteros Puma e do avião T-38 e ainda pela largada de paraquedistas.

Foi este o primeiro festival aéreo em que esteve presente o então Chefe do Estado Maior da Força Aérea, o general piloto-aviador Brochado Miranda, natural de Amarante, que deixou as seguintes palavras na revista O Mais Alto: “A forma aprumada e disciplinada como, na generalidade, o pessoal se apresentou permitiu estabelecer um contacto fácil, amigo e digno com a população local de que resultou criar-se uma imagem que muito prestigia a Força Aérea e, como seu comandante me enche de orgulho…”

Naqueles anos 80, a Força Aérea estava a viver a problemática do abandono do Ultramar e a encetar uma nova política de acordo com a realidade europeia e ainda os acordos daí inerentes a que Portugal estava ligado.

Porém, naquele tempo, na Força Aérea havia mais de 50 oficiais e cerca de 100 sargentos naturais do distrito de Vila-Real que ficaram como referências ao longo dos anos da Instituição Militar Força Aérea.

Cumpre-me salientar o expoente máximo, o general piloto-aviador Machado de Barros, um militar com uma estatura moral e técnica que um livro de 100 páginas não chegaria para o definir. Era irmão do senhor Salomão, pessoa muito conhecida na Bila. O brigadeiro piloto-aviador José Pereira do Nascimento, secretário de Estado da Aeronáutica até 1973 e, muitos outros que tive o privilégio de servir durante as suas prestigiosas carreiras.

Para culminar, estas personalidades, um dos últimos Chefes do Estado-Maior da Força Aérea em 2002 e 2010, o general Taveira Martins natural de Almodena, Vila Real.

Vila Real era e é assim. Como vila-realense tenho muito orgulho em ter nascido na Rua dos Vasos, hoje de Santa Marta, e ter frequentado o extraordinário liceu Camilo Castelo Branco, com colegas de então: coronel Walter Almeida, Major General Jaime Neves, Tenente General Casimiro Aranha, Coronel Paulino e muitos outros já falecidos, que o dever de memória me obriga a lembrar.

Vila Real para sempre estaremos contigo em todas as situações. 

Mais Lidas | opinião

O dia que virá depois

“A solidariedade não é facultativa”

Seminaristas confraternizam em Castro Daire

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.