Terça-feira, 26 de Outubro de 2021
Victor Pereira
Pároco. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Dai-nos muitos e santos leigos

A realidade está aí bem à frente dos nossos olhos: cada vez há menos padres, menos religiosos, menos vocações.

-PUB-

Vão aumentar as paróquias sem padre, fiéis sem Missa, cristãos sem sacramentos. O teólogo José Maria Castillo constata ainda: «A Igreja estagnou – e continua estagnada – em pensamentos, costumes e cerimónias anteriores à Modernidade, a Igreja afunda e aí permanece, presa em ideias, deveres e cerimónias, que quase ninguém entende e nas quais quase ninguém está interessado». 

Uma velha máxima da Igreja diz «Ecclesia semper reformanda», a Igreja está sempre a precisar de reforma.

E, de facto, penso que é preciso agir rapidamente para que a Igreja possa continuar a bem cumprir a sua missão no mundo. Há que promover o laicado na pastoral da Igreja. Devido à clericalização da vida da Igreja, os leigos foram secundarizados na ação e intervenção da Igreja, de tal maneira que ainda hoje quando se fala de Igreja toda a gente pensa no Papa, nos bispos e nos padres, os que pensam, os que sabem e os que «mandam», os outros, os leigos, obedecem. O seu lugar e missão é no mundo, sem dúvida, onde são chamados a levar o espírito do Evangelho e a testemunhar a fé cristã, mas também é na Igreja, onde têm o seu lugar próprio para que a Igreja celebre a sua fé e cumpra a sua missão, e devem ser chamados a participar nas decisões da Igreja. 

Como dizia há dias o padre Tony Neves, numa entrevista à Renascença, «o grande desafio para a Igreja em 2020 é a emergência de um laicado forte porque, sobretudo na Europa e no norte da América, que foram os continentes que mandaram na Igreja durante 20 séculos, clericalizámos demais a Igreja, e pusemos tudo muito em cima das costas dos bispos e dos padres, com consequências a meu ver desastrosas, a todos os níveis, mas sobretudo de caráter pastoral. Deixemos de pensar que os bispos e os padres é que têm de fazer tudo na Igreja, é que têm de ter toda a autoridade e tomar todas as decisões, e que se eles não estiverem o mundo acaba». 

Para muitos cristãos, a religião só faz sentido com o padre. Foi o modelo que imperou na vida da Igreja. Mas a igreja são todos os batizados e não apenas o padre. Também há religião para lá do padre. Há dois mil anos, foi um leigo judeu chamado Jesus que fez estremecer o Judaísmo e a sociedade do seu tempo. 

Mais Lidas | opinião

O povo é quem mais ordena

Património e o futuro (II)

Viagem de Circum-navegação 1

O Senhor Reigoto

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.