Domingo, 19 de Setembro de 2021
António Martinho
VISTO DO MARÃO Ex-Governador Civil, Ex-Deputado, Presidente da Assembleia da Freguesia de Vila Real. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

“Um centímetro são cinco anos de trabalho”

VISTO DO MARÃO

-PUB-

Só um/a atleta com verdadeiro espírito de campeão/ã, mas consciente das exigências da alta competição e respeitadora dos/as adversários/as poderá proferir esta frase. Patrícia Mamona fê-lo em entrevista ao Expresso, antes mesmo da medalha da prata. Este terá sido o sentir de todos os que trabalharam intensa e arduamente para conseguir o passaporte para o país do “Império do Sol Nascente”.

Independentemente das pequenas quezílias. Porque “estamos aqui a representar Portugal, não a nós próprios”, como lembrou José Manuel Constantino, Presidente do Comité Olímpico de Portugal. As declarações que ouvi da boca de alguns atletas fazem jus a este espírito:  “Estou orgulhosa de todos nós” – Patrícia Mamona; “cada segundo vale ouro” – Jorge Fonseca; “este ouro tem um significado muito grande, pois é a única forma que tenho de agradecer ao país que me apoiou desde o primeiro dia” – Pedro Pichardo; “é importante os portugueses estarem felizes e orgulhosos (…) deste ciclo olímpico que foi muito duro” — Fernando Pimenta.

Estas são palavras dos quatro atletas portugueses medalhados. Outros, que participaram nos Jogos que terminaram no dia 8, transmitiram-nos mensagens semelhantes. Com diploma, ou mesmo sem alcançarem essa posição. Como ouvi por estes dias, a participação nos Jogos Olímpicos já é um grande feito dos atletas que renunciam a tanto e se empenham em cada dia e a cada momento para conseguir alcançar o lema: “Citius, Altius, Fortius” – “mais rápido, mais alto, mais forte”, lema adotado pelo Comité Olímpico Internacional em 1894. Ele traduz a ideia de superação e a luta pela excelência.

Os atletas, em cada dia, tentam superar-se a si próprios. Daí, a importância atribuída aos recordes. Se atentarmos nas declarações dos atletas acima citados, encontramos o reflexo dessa realidade, a da superação de cada um para ir mais alto, mais além.

Daqui, das fraldas do Marão, de onde escrevo mais um Visto, quis partilhar esta reflexão. Passando ao lado de algumas polémicas. Na verdade, os atletas olímpicos portugueses, todos, tal, certamente, como a generalidade dos seus colegas dão-nos, em cada Jogos, este grande exemplo de superação. Mostram-nos como é importante ir mais além, conscientes de que um centímetro mais longe, ou mais alto são anos de trabalho, imbuídos do espírito de que cada segundo de um combate vale ouro. Nós, que os acompanhámos à distância, congratulamo-nos com os seus êxitos.

Mais Lidas | opinião

Iliteracia Bíblica

Empresas inviáveis

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.