Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021
Levi Leandro
Engenheiro. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Gostar de Vila Real? Sim, mas com Fibra…

Vila Real tem sido uma cidade que, nos últimos sete, oito anos, tem sofrido atropelos de natureza vária, praticados de forma arrogante e prepotente pelos socialistas, sob o signo da impunidade.

-PUB-

O edil nº 1 continua a empurrar os Vila-realenses para o insucesso sem que alguém se lhe oponha ou o coloquem no devido lugar. Uns porque estão entretidos na manobra conjunta, outros porque de forma subserviente o “idolatram”, e outros porque, pura e simplesmente, “estão a ver no que isto dá”, preocupados com os lugares que anseiam, mas que não alcançarão se não fizerem oposição. Não dando conta, nenhuns deles, do valor da hipoteca do futuro do concelho e deles próprios.

Por isso, o edil nº 1 já nem sequer se preocupa, se as afirmações que profere garantem uma réstia que seja de dignidade. Vejamos:

Afirmar numa conferência de imprensa, dada em 10 de maio, que apenas subscreveu uma carta compromisso e que não assinou o contrato para a realização das provas do WTCR de 2022 a 2024, porque não quer condicionar o próximo executivo camarário face às eleições autárquicas de outubro de 2021, é pura demagogia, para não dizer desonestidade intelectual e digna de um cinismo atroz. Então isso não lhe ocorreu quando em fevereiro de 2019 assinou um contrato de aluguer por 30 anos, pagando 11 000€/mês, para a instalação da Loja do Cidadão? Nessa altura não se importou de hipotecar sete mandatos dos próximos executivos (até 2049) para fazer um negócio com dinheiros públicos, claramente ruinoso para os munícipes? Também não se lembrou que a digitalização dos serviços públicos é já uma realidade e, consequentemente, a Loja do Cidadão será um equipamento a curto prazo inútil, ou até no imediato, pois, a memória é digital, muito difícil de apagar e muito fácil de recuperar.

Não basta dizer que se gosta de Vila Real, é preciso demonstrar. Todos os autarcas, e em especial os do interior, provam-no, captando investimento para os concelhos que gerem, não rejeitando nenhuma proposta. Há cerca de três meses uma empresa com tecnologia de ponta na área da Fibra Ótica, de capital suíço, designada por “Fischer Connectors”, pretendia instalar uma unidade fabril em Vila Real, onde admitiria inicialmente, cerca de 200 colaboradores, podendo atingir nos dois anos seguintes, mais 300. O que não faria um edil para garantir a instalação de uma empresa assim no seu concelho? Sem explicação instalou-se em Amarante. Porquê…?

Estamos num concelho onde se respira e sente vulgaridade, irresponsabilidade e incompetência. Quem nos lidera instalou o caos no concelho. Vila Real é um estaleiro a céu aberto com vedação manhosa, as obras surgem sem planeamento, com prazos de execução não cumpridos, com vários incumprimentos legais e onde, até os imprevistos, são declarados como previstos, tudo é executado por impulsos pessoais ao sabor do freguês. Inacreditável…, mas o munícipe é que sofre e paga.

Não se luta apenas para vencer, luta-se por dignidade, por não se compactuar com a iniquidade. A gestão política, só não causa danos quando é exercida por gente integra.

Mais Lidas | opinião

O dia que virá depois

Iliteracia Bíblica

Empresas inviáveis

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.