Domingo, 26 de Maio de 2024
No menu items!
Manuel R. Cordeiro
Manuel R. Cordeiro
Professor Catedrático aposentado da UTAD

Instituições por onde passei (3)

Terminei o Ensino Secundário em Julho de 1967, em Braga. Os alunos dos Colégios privados tinham que fazer os exames num Liceu Nacional. Eu fi-los no Liceu Sá de Miranda, que fica mesmo ao lado do Colégio Dom Diogo de Sousa.

-PUB-

Os exames correram-me de acordo com o que eu esperava e foram a consequência do que eu tinha estudado.

Como tinha decidido ir para Engenharias, as cadeiras mais importantes, também chamadas nucleares, eram Matemática e Física. Não admira, pois, que essas fossem as minhas melhores notas.

Para isso contribuiu muito o meu Professor de Física, a quem tratávamos carinhosamente e respeitosamente, por Professor Estevinhos.

Tive explicações de Matemática com ele durante um ano. O método de ensino que ele usava, era altamente eficiente. A ele devo a minha paixão pela Matemática. Então só se dispensava da oral com 16 valores no exame escrito. Dispensei a Matemática, mas a Física fui à oral. O Professor perguntou-me se estava interessado em subir a nota e eu disse-lhe que não. Mandou-me embora com a nota da escrita. Quando contei isso ao Professor Estevinhos, a sua resposta foi: devias dizer que querias subir a nota porque tu sabias para conseguir isso.

Depois de me despachar de todos os exames, fui para o Porto fazer o exame de Aptidão à Universidade, mais concretamente à FEUP – Faculdade de Engenharia.

Os exames correram-me muito bem e fui aprovado. Estava completada uma etapa muito importante na minha vida.

No ano letivo 1970-1971, frequentei o primeiro ano. Até aí, tinha horários para tudo e não foi fácil habituar-me à liberdade que tinha a partir daí. Passei a ser o responsável por administrar o meu tempo. Para mim tudo era novidade. Como resultado destas circunstâncias e muitas outras, o meu começo na FEUP não foi nada promissor. Terminado o primeiro Semestre fiz um exame de consciência, analisei tudo e quando iniciei o segundo, comecei uma nova vida. Comsegui recuperar o tempo perdido e terminei o meu Curso de Engenharia Electrotécnica e Computadores, na opção de PTDE – Produção, Transporte e Distribuição de Energia, no ano letivo de 1974-1975, cinco anos depois de o ter iniciado.
Foram cinco anos de muito trabalho, muita dedicação e muita força de vontade. Entretanto, casei no Agosto de 1973. Não era muito normal um estudante universitário casar antes de terminar o curso. Eu fi-lo e considero que foi uma boa decisão. Os anos de FEUP foram decisivos para a minha formação académica e, muito importante, para a minha formação como pessoa. Criei amizades com os colegas de curso e com alguns dos meus professores que ainda hoje se mantêm. No dia 11 do corrente mês de Maio, vamos fazer o nosso encontro anual para comemorar os 49 anos de Engenheiros.

OUTROS ARTIGOS

ARTIGOS DE OPINIÃO + LIDOS

Notícias Mais lidas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.