Domingo, 26 de Setembro de 2021

Barroso da Fonte

Escritor e Jornalista. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes
425 Artigos de opinião

Troca por troca morra (em casa) o Combatente

Nestes 47 anos de bandalheira sistemática, deteriorou-se a sociedade

Deixem de vender Portugal a retalho

Certamente todos os Portugueses gostam muito de Portugal. Isso sente-se, cada vez com mais frequência, quando a Bandeira é hasteada nos jogos internacionais.

Combatentes tratados abaixo de cão

Mais do que as palavras do jornalista, valem os testemunhos que se seguem.

Nunca tantos souberam tão pouco

É óbvio que uma pandemia com as caraterísticas da Covid-19 nunca terá acontecido. Houve várias do género. E esta coincidiu com o I século da...

Vila Real: estaleiro para cidade do futuro

Leio no JN de 5 do corrente que «Vila Real é hoje um estaleiro para amanhã ser cidade do futuro».

Tanta mentira para tão pouca verdade

A qualidade da democracia Portuguesa mediu-se pelo nível da pandemia que banalizou a campanha eleitoral, deixando a sociedade civil em estado de pânico

O seu a seu dono

Na minha nota da penúltima quinzena aludi aos quatro congressos Transmontanos que se realizaram em 1920, em 1941, em 2002 e 1918. Os três primeiros tiveram por palco Trás-os-Montes.

Quatro Congressos Transmontanos num século

Em 1920, por iniciativa da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douto de Lisboa, realizou-se o I Congresso Transmontano

Heroísmo, vergonha, pânico e corrupção

Escrevo este observatório quinzenal, em cinco andamentos.

Vão brincar com o car(v)alho mais próximo

Li no Expresso de 14.10.2019 que Portugal é dos países com maior violência contra os idosos. Li na mesma fonte que pessoas com mais de 65 anos pertencem ao escalão dos mais vulneráveis num país classificado, nas listas dos mais envelhecidos, em quinto lugar no mundo e em quarto na Europa Li também que hoje a população idosa duplicou e Portugal já é o quarto país mais envelhecido da Europa.

Corrupção no seu máximo esplendor

Sou leitor assíduo do Jornal de Notícias ao qual estive ligado, como correspondente, desde a década de setenta em Chaves e, desde 1975, em Guimarães até 1982.

Ribeiro Aires fala de Vila Real de há 200 anos

Não se pense que há 200 anos o país estava mais calmo do que neste ano de 2020.