Sexta-feira, 7 de Maio de 2021

Adérito Silveira

Maestro do Coral da Cidade de Vila Real. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes
157 Artigos de opinião

Os herdeiros

Em Mateus vivia uma velhinha já gasta por três casamentos. Mas tinha dinheiro e tinha herdeiros…

Amor da mãe Filomena

O filho já há muito tinha saído da aldeia na demanda de uma vida com futuro.

Os sinos já tocam a rebate

Viver é uma aventura que vamos construindo um pouco à deriva.

Aldeias que estão a morrer

Há pouco tempo visitei uma aldeia transmontana bem perto de Mirandela, aldeia onde em tempos havia vozes e entusiasmo pela vida. À chegada deparei-me com uma burra a pastar, presa a uma longa corda dando-lhe a ilusão de liberdade. Nas hortas, as couves tinham o tamanho de arbustos.

Na fé está a luz da esperança

As pandemias nas suas variantes de vírus, ao longo dos tempos, têm dizimado mais gente do que as mortes causadas pelo terror de todas as guerras.

A festa do Senhor dos Passos

A festa em honra do Senhor dos Passos estava animada com a charanga a tocar em fortes decibéis. O Abílio tinha emborcado quase um garrafão de tinto em pouco tempo

Carlos Cardoso — a morte prematura

É difícil descrever a partida definitiva de alguém que nos marcou tão indelével e positivamente, influenciando mesmo a conduta daqueles que tiveram o privilégio de o conhecer e partilhar coisas fantásticas da vida….

Balbúrdia e irresponsabilidade

Dia de mercado. Primeiro dia de confinamento. Já bem cedo, o trânsito circulava num frenesim.

A loucura da raspadinha

Depois de tomar o habitual café, por volta das três, não consegui fazer mais nada senão observar mulheres entretidas na azáfama recreativa do jogo da raspadinha e, perante quadro tão peculiar, eu permanecia suspenso e curioso em saber o que iria passar-se dali para a frente. 

Pelo Natal de saco ao ombro

Gente necessitada, logo no início de dezembro batia às portas à hora do jantar desejando “a Vossa Excelência e Excelentíssima família Boas Festas.” 

Natal dos pobres

Em Trás-os-Montes o Natal era a festa da família, dos bolos, dos presentes no sapatinho.

Dezembro era o mês abençoado da paz

Naquele distante ano de dezembro a serra estava branca, como lençol estendido a corar junto aos velhos tanques de Mateus.