Sábado, 22 de Janeiro de 2022

Adérito Silveira

Maestro do Coral da Cidade de Vila Real. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes
175 Artigos de opinião

O que nos espera?

Há tempos, numa sala de espera do consultório médico, uma senhora sorria de olhos semicerrados, pouco depois meteu conversa com um deficiente motor, este perguntou-lhe porque sorria daquela forma.

Temos de reconstruir a esperança

Os pesadelos que vivemos no último ano, relembram a necessidade de sonhar melhor, com coisas de uma realidade mais saudável e inspiradora.

Coral da Cidade cantou com máscara

O dia 01 de dezembro foi particularmente festivo com a oitava inauguração da Mostra de Presépios- 2021- na Cidade de Vila Real. Prestação inestimável das 20 Juntas de Freguesias e do Centro Cultural dos Trabalhadores do Município.

Urgente celebrar o Nascimento do Menino Deus

Sim, antigamente havia mais espírito de Natal.

O “Bombeiro”

As filarmónicas da província eram os berços mais ou menos baloiçantes das sensibilidades rusticanas com as quais tive a felicidade de contemporizar.

Tributo a Manuel dos Santos

Foi um homem torturado pela fragilidade das pernas que dificultavam a sua marcha. No entanto, a fé inabalável a frei Vicente incitava-o a prosseguir.

O sapateiro músico

Antigamente, o sapateiro tinha uma visão das coisas e do mundo muito realista, discorrendo em decisões rápidas e inteligentes, resolvendo sempre os pedidos dos fregueses, mesmo os que tinham os pés deformados, grotescos.

Dias de festa

Naquele domingo havia entusiasmo na aldeia. No largo, o povo ia conversando, trocando sorrisos desenhados em semblantes de oiro, sorrisos rasgados na ternura dos olhares.

Professora Ana Arcília o adeus a uma Grande Senhora

A morte de um amigo é também a morte de algo que vivia dentro de nós.

A saudade do toque das ave-marias

Antigamente, depois do toque das ave-marias já lusco-fusco chegavam dos campos os lavradores de enxada às costas e saudavam-se

Os incêndios que tudo destroem

Todos sabemos que não há ignições sem intervenção humana, salvo raras exceções. Todos sabemos que as plantas, através da clorofila, captam dióxido de carbono e libertam oxigénio e por isso são essenciais à vida.

A língua é pátria que nos faz sonhar

A língua é a voz do mundo, do doente e da tísica, sem chama, sem graça, sem nada.